Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 2) – Fazendo as Malas e Viajando

Oi Gentee!! Quem acompanha o blog sabe que semana passada iniciei a série com dicas sobre Vancouver e sobre a minha experiência de intercâmbio nessa cidade do amor. O primeiro post contei um pouco sobre o meu processo de decisão de país/cidade, qual escola escolhi, quem me assessorou. Perdeu o primeiro post? Então antes de ler este, clique no link abaixo:

Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 1) – Primeiros Passos

VANCOUVER

Bom, feito isso, vamos falar sobre uma das partes mais legais da viagem: os preparativos! Gente, como adoro esse momento. Como sou muito ansiosa, fico lendo e me preparando muito antes, e esse processo me deixa tão animada quanto a própria viagem! Neste post, vou falar um pouquinho do que você precisa levar na mala, o que você não pode (de jeito nenhum) deixar de levar para um intercâmbio, como foi a viagem, a imigração na chegada do aeroporto, e muito mais! Vambora?

ARRUMANDO A MALA

Eita parte gostosa! Como fui para Vancouver em Dezembro, tive que levar bastante roupa de inverno. Mesmo que o clima na cidade não seja tão rigoroso quanto outras cidades canadenses (tipo Toronto), já é bem frio para quem mora em um país tropical. A temperatura, nesta época do ano, varia entre 0ºC e 5ºC, até que não é tão frio, né? Ainda mais se você tiver em Downtown, que dificilmente neva (nos subúrbios já é bem comum, como Burnaby, New Westminster). Mas mesmo assim, é um frio que nós brasileiros não estamos acostumados, então, agasalhe-se BEM.

O que levei na mala? Além de casacos impermeáveis, botas, leggings e segunda-pele, levei secador de cabelo, itens para banho, alguns remédios essenciais (gripe, alergia, cólica e afins), roupas para o dia a dia, tênis, lembrancinhas brasileiras (pulserinhas do senhor do bonfim) para os amigos gringos da escola (se você ficar em homestay, também é legal levar presentinhos), itens escolares (caderno, agenda, lápis, caneta e tudo mais) e livrinhos sobre a cidade (que confesso que foram totalmente deixados de lado) divididas em duas malas grandes para despachar. Na mala de mão levei uma troca de roupa (caso a mala extraviasse), bolachas (hehe.) e documentos para imigração. Na mochila levei meus documentos pessoais, cartões de crédito, visa travel money, dinheiro em espécie, celular e notebook.

A VIAGEM: BRASIL – VANCOUVER

Eu viajei para Vancouver, como já mencionei, pela Air Canada. É uma companhia excelente, e que valeu muito a pena. Os voos normalmente saem (em São Paulo) às 22h00 com destino à Toronto. Essa viagem dura uma média de 11h. É bem cansativo, mas como é a noite, você sente menos. O serviço de bordo é ótimo e dispõe de telas individuais para você assistir a filmes, séries e tudo o mais. Além disso, neste voo, você receberá um folheto, que é um questionário, que você deverá informar qual o seu motivo de viagem para o país, se você está portando drogas, plantas, comidas in natura e outras coisas que são proibidas, o valor em dinheiro que você está levando, etc. Este folheto ficará sob sua posse, e você o entregará quando passar pela imigração. Chegando em Toronto, você diretamente passará na imigração (que explico abaixo) e aguarda sua conexão para Vancouver. A minha demorou umas 2h no máximo, eu acho. E lá é WiFi Free <3. A viagem de Toronto para Vancouver dura em média 6h (bem longa) e também é pela Air Canada, mas o serviço de bordo não é gratuito (só água, se não me engano). Então se você estiver com fome, já se prepare. E não é barato! O voo é tranquilo e é lindo sobrevoar as Rocky Mountains, você já chega em Vancouver apaixonado.

PASSANDO PELA IMIGRAÇÃO NO CANADÁ (TORONTO)

Lembre-se que quando você chegar no país, você passará pela imigração, ou seja, não é totalmente certo que você entre no país (mesmo com o visto no passaporte). Então não se esqueça de ter na sua mala de mão alguns itens:
– Passaporte;
– Questionário preenchido entregue no voo São Paulo / Toronto;
– Dinheiro em espécie e no cartão (VTM ou Crédito com bandeira internacional);
– Todos os documentos da escola onde você estudará, a carta de aceitação, a carta da família em que você ficará hospedado ou da residência estudantil (como foi o meu caso);
– Documento do seguro de vida internacional;
– Comprovante ou ticket emitido da passagem de volta (para pessoas que permanecerão menos de 6 meses no país)
É importante que, além de ter essas informações impressas e documentadas, você também memorize o nome da sua escola, da sua família, o endereço de onde se hospedará e tudo mais, ficará mais fácil. Se você não souber falar inglês, não se preocupe, eles providenciam um intérprete. Eles perguntarão poucas coisas, mas são basicamente essas informações que você deve saber. E ah, lembre-se: você precisa garantir que terá dinheiro (e que ele já está com você) para toda a sua estadia (assim, garantindo, que você não precisará procurar emprego localmente). No meu caso, fizeram umas quatro perguntas: o que eu iria fazer lá e em qual escola, onde me hospedaria e se estava portando mais de 10 mil dólares canadenses em espécie (eu acho que era essa quantia). E me liberaram, foi simples e bem tranquilo.

Ahhh, o meu visto era de estudante para 1 entrada. Ou seja, eles carimbaram o meu passaporte na entrada do país e isso quer dizer que se eu saísse por algum motivo (mesmo que fosse para os EUA), não entraria novamente. Então lembre-se bem dessas especificações quando for escolher qual visto aplicar.

Ufa! Essas foram algumas informações essenciais para o trajeto SP – Vancouver.

Semana que vem tem mais, sobre adaptação, conhecendo Vancouver, a escola e tudo mais. Stay tuned!

Bjs

montagemcanada

165146_1268696855724_7028104_n

168634_1263136716724_8346943_n

ATUALIZADO

Acesse os posts seguintes em:

Acesse a parte 3: Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 3) – Curso de Inglês e Hospedagem

Acesse a parte 4: Meu Intercâmbio em Vancouver – Canadá (Parte 4) – Stanley Park, Lynn Valley Park, Gastown e Lookout Tower

Acesse a parte 5: Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 5) – Grouse Mountain, Vancouver Acquarium, Jogo de Hockey e UBC

Acesse a parte 6: Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 6) – 23 Curiosidades sobre a cidade

Acesse a Parte 7: Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 7 – Onde fazer compras de eletrônicos, roupas e souvenirs

Acesse a parte 8: Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 8) – Viajando para Victória

Anúncios

8 comentários sobre “Meu Intercâmbio em Vancouver / Canadá (Parte 2) – Fazendo as Malas e Viajando

    • Oi Carla!! Obrigada pela visita! 🙂 No voo de SP à Toronto, como fiz à noite, foram servidas duas refeições: janta e café da manhã. As duas são bem servidas e até que bem gostosas. Além disso, tem água, suco e refri que servem de tempos em tempos. No voo de Toronto à Vancouver, acredito que toda alimentação deva ser paga em cartão de crédito, pois as comissárias já passam com a máquina! Veja mais informações nesse link: http://www.aircanada.com/en/travelinfo/onboard/dining/na/onboard/
      Espero que tenha ajudado! Beijos e volte sempre :*

      Curtir

  1. Oi, to indo pra Vancouver daqui 10 dias e bate aquela ansiedade boa.
    Bem legal ver teus posts, muito informativos.
    Tinha algumas dúvidas sobre as perguntas na imigração e pelo visto foi bem tranquilo ne?
    Agora a questao do dinheiro você teve que comprovar que tinha 10mil dolares?Uau muita grana!
    Eu tou indo passar um mês e creio que levarei uns 3mil divididos em espécie e VTM. Acha que terei algum problema por essa quantia ser bem menor proporcionalmente a que você levou.
    Devo incluir o valor que terei a disposição no meu cartão de crédito também?
    Valeu e paeabens pelo blog.

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Henrique!! Nossa, nem fale, uns diazinhos antes bate uma super ansiedade, mas é bem gostoso! Que bom que você gostou dos posts, fico muito feliz! 😀 Então, eu não declarei CAD 10,000 não, é muita grana! Hehehehe.. Eu teria que declarar caso tivesse, mas não tive não. Eu levei apenas 1,000 dólares e chegando lá, precisei de mais 500 dólares! E olha, deu super bem, você com esse valor ficará (em minha opinião) super tranquilo. Dá bem para fazer viagens, caso você queira, e fazer algumas atividades na cidade! Nesse post contei quanto eu gastei: http://abilolando.com/2015/03/18/meu-intercambio-em-vancouver-vancouver-parte-9-quanto-gastei-na-viagem/ Acho o VTM uma super mão na roda, o problema é que sempre haverá IOF na utilização, então uma dica é você sempre sacar grandes quantias e pagar sempre em cash! 🙂 Espero que tenha ajudado! Bjs e volte sempre por aqui!! 🙂

      Curtir

    • Não paguei excesso não! Para viagens internacionais, você pode levar duas malas de 32 kg para despachar, uma de mão e uma pessoal para levar no avião! 😉 Eu lavei minhas roupas, mas não era muito frequente, a residência estudantil que eu fiquei tinha lavanderia!! Beijos!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s