Falando Sobre: Sense8

Oi gente!

Há umas duas semanas terminei de assistir à mais nova série do Netflix: Sense8. E MEU DEUS DO CÉU, QUE SÉRIE! Confesso que quando assisti o primeiro episódio, não me animei muito; pelo contrário, fiquei bem confusa com a história, mas mesmo assim, com tantas críticas positivas, dei uma segunda chance e continuei assistindo; ainda bem. Sense8 é mais uma série original do Netflix, que tem produzido ótimas séries como Orange is the New Black, Demolidor e outras. O Netflix tem entrado com os dois pés no peito MESMO, e tá difícil competir com eles, viu?

Estava querendo há um tempo escrever sobre Sense8 por aqui, mas sempre pensei: COMO É QUE EU VOU EXPLICAR AQUELA DOIDEIRA TODA? Mas bom, vou tentar! E se você não entender muito bem no começo, vá assistir JÁ mesmo assim, porque a série é absurdamente foda, bem escrita, maravilhosamente dirigida e produzida. E as atuações estão no mesmo patamar e não deixam desejar nem um pouco. Sense8 foi escrita e dirigida pelos Irmãos Wachowski (os mesmos diretores de Matrix), então só daí você consegue ter uma ideia do que pode vir a diante.

sense8-1

Sense8 conta a história de 8 protagonistas que têm, entre si, uma conexão. São oito histórias e cenários (e países!) diferentes, mas que todos eles são “um”. Por terem essa conexão, os sensates (como são chamadas essas pessoas) podem se comunicar, dividir habilidades, sentimentos de amor, ódio, insegurança, etc. Então, por exemplo, se um dos sensates está passando por apuro, os outros sentem o que ele sente e podem se “teletransportar” para o universo dessa pessoa (e só um sensate enxerga o outro do seu grupo) para conversarem, ou até para emprestarem suas habilidades de luta, etc. É bem confusinho de explicar. É como se eu estivesse aqui, mas em pensamento estivesse em outro lugar do mundo me comunicando com o sensate.

Além dessas habilidades, que por si só já intrigam e deixam qualquer espectador com vontade de assistir os outros episódios, pela ousadia e criatividade da trama, a história dos oito sensates também é EXTREMAMENTE relevante para a trama, e tratam de assuntos muito contemporâneos, como transexualidade, homossexualidade, machismo, traumas de infância, entre outros.

sense8-2

sense8-4

sense8-3

Conheça os 8 sensates:

Riley – Inglaterra/Islândia: interpretada por Tuppence Middleton, é uma DJ islandesa que mora em Londres, passa por problemas como drogas, tráfico e, ao longo dos episódios, descobrimos uma profundidade absurda em seu personagem!
Will – EUA: interpretado por Brian J. Smith, é um policial de Chicago que lida com problemas do seu pai alcoólatra e gangues do tráfico do seu Estado. É um dos primeiros a perceber que é um sensate e o que isso significa. Ligação importantíssima entre todos os outros!
Sun – Coréia do Sul: interpretada por Doona Bae, é filha de um riquíssimo executivo de Seul e é CFO da empresa de seu pai; nas horas vagas (e secretas) é lutadora BAD ASS DEMAIS de kickboxing. Sun passa por momentos importantes durante a trama sobre questões éticas e familiares. Essa mulher é FODA demais. Quebra qualquer um!
Wolfgang – Alemanha: interpretado pelo lindo Max Riemelt, é um ladrão de cofres em Berlim, enfrenta problemas com a máfia e tráfico alemães, além de ter também traumas de infância e familiares. É o cara da porradaria no Sense8, desses que você fica vibrando loucamente nas cenas (eu, pelo menos, ahah).
Kala – Índia: interpretada por Tina Desai, é uma jovem farmacêutica e culta que tem um casamento arranjado, mas que não quer se casar sem sem por amor, e sofre para dizer o que realmente pensa. Eu gosto da Kala, mas nem de longe é a minha preferida. Acho que tinha um SUPER potencial para uma personagem bem feminista em um país tipicamente misógino. Mas não é bem isso, apesar de ter aparições importantíssimas na trama!
Lito – México: interpretado pelo tudo-de-bom-maravilhoso-incrível Miguel Ángel Silvestre, é um ator de novelas mexicanas bem “machão”, mas que em casa tem um relacionamento homoafetivo em segredo. O personagem de Lito tem uma crescente na série, e passa por muitos dilemas pessoais. É um dos meus preferidos, além de ser absurdamente lindo, claro, rsrs.
Nomi – EUA: interpretada por Jamie Clayton, é uma ativista hacker transexual e homossexual de São Francisco. Nomi é daquelas personagens maravilhosas e incrivelmente bad asses, muito feminista! Sua história emociona e me fez chorar algumas boas vezes pelos episódios. Nomi tem papel fundamental, também, para os outros sensates!
Capheus – Quênia: interpretado por Aml Ameen, é um motorista de Van (a famosa Van Damn) em Nairóbi, tem uma mãe soropositiva e enfrenta, também, problemas de gangues e outras mazelas que assolam o país. É o personagem mais gente boa de todos, aquele que sempre está de bom humor e cheio de esperanças mesmo em meio às adversidades, é tipo o conselheiro do grupo.

Os personagens todos são muito bem construídos e cada um tem uma história diferente, um background diferente, mas todos são complementares pela personalidade, pela força e pelos valores. Sense8 é uma obra prima, o Netflix acertou em CHEIO. Várias cenas são absolutamente memoráveis, que normalmente são aquelas que todos os sensates estão juntos. Nem vou dar spoilers, mas adianto que é uma série com muita violência, drogas, cenas de nudez e sexo, então a classificação etária é + 16 anos.

Tem Netflix? Assista Sense8, estou louca pela estreia da 2ª temporada que, infelizmente, só tem estreia prevista para o ano que vem. Mas se for na mesma pegada que a primeira, o sucesso está garantido. Amei demais.

E você, assistiu? Me conta o que achou!

Anúncios

Receitinha: Macarrão com Cerveja Preta e Calabresa

Oi geeeente!

Mas quem é vivo sempre aparece, é? (eventualmente, depois de quase um mês, como é o caso desse falecido (porém renascido) blogzinho, rsrs. From now on, vamos pegar firme! Então fiquem ligados que logo menos tem novidade por aqui 🙂

Como faz um tempinho que o blog está jogado às trevas, nada melhor para voltar à ativa do que uma receitinha deliciosa e mega fácil de fazer, não é? Essa é uma receita que eu e o Pedro costumamos fazer sempre aqui em casa quando não queremos cozinhar algo muito demorado ou elaborado (e eu digo “cozinhAMOS, porque eu que faço o molho, tá? haha). Nós fazemos com ou sem a cerveja preta, e ambas receitas ficam delicinhas demais! Quer aprender?

Receita de Macarrão com Cerveja Preta e Calabresa

receita-macarrao-cerveja-preta-calabresa

Você vai precisar de:

– Macarrão à sua preferência;

– Cerveja preta/escura (uma lata de 365 ml está ótimo!);

– Tomate pelado;

– 1 linguiça calabresa em rodelas;

– Alho e cebola picados (1 cebola está de bom tamanho);

– Azeite;

– Sal e pimenta a gosto.

Para fazer a receita, é muito simples: Comece picando o alho e a cebola e os reserve. No liquidificador, adicione o tomate pelado (nós compramos aqueles em lata mesmo, que são bem práticos e deliciosos), um pouco de água filtrada, um fio de azeite, sal e pimenta a gosto, um dente de alho, 1/4 de cebola e bata. Em uma panela, refogue o restante da cebola com a calabresa. Após isso, adicione a cerveja preta e deixe-a reduzir (o molho ficará com um aspecto mais espesso, parecido com um caramelo). Após, adicione o molho e deixe cozinhar. Enquanto isso, cozinhe o macarrão na água fervente e um pouco de sal (não é necessário usar óleo). Depois que o macarrão tiver ao dente, adicione o molho na mesma panela que o macarrão (já escorrido) e deixe-os cozinhando mais um pouco. E sirva! 🙂

Comidinha gostosa e inesperada. Afinal, comida e bebida combinam muito!

Um beijo, e até amanhã (prometo! rsrs)