Dica de Aplicativo: Vaniday – Reserve Serviços de Beleza e Bem-Estar

Oi gente!

Eu sei (e você também sabe) que o blog é focado em coisinhas de decoração, faça você mesmo, cinema, receitas e viagem, mas toda dica é bem vinda, não é? E é claro que eu não podia deixar de compartilhar um serviço tão bacana e prático como esse por aqui.

vaniday-capa

Até semana passada eu não conhecia o Vaniday. Você conhece? Se você não conhece, é o seguinte: O Vaniday é um aplicativo que reúne serviços de beleza e bem-estar em um único local. Seja salões de beleza, estética ou até mesmo espaços fitness e de saúde. Isso é uma mão na roda quando você precisa fazer, por exemplo, a unha com urgência ou uma depilação que não estava planejada na agenda (sabe como é, rsrs) e você não sabe locais que façam isso próximo de onde você está. Para isso, você acessa o Vaniday, seleciona o serviço que você deseja fazer e ele te dá uma lista de salões e serviços oferecidos, bem como os valores.

O mais bacana do Vaniday é que você pode fazer o agendamento pelo próprio aplicativo, e inclusive fazer o pagamento por lá (em alguns estabelecimentos cadastrados)! Você cadastra o seu cartão de crédito e pimba, já paga direto pelo celular. Isso facilita muito na hora em que você está com as unhas feitas e tem que procurar o cartão dentro da bolsa, né? (e borrar toda sua unha.. #quemnunca). Muito bacana, né?

vaniday-app

Na semana passada o pessoal da Vaniday me apresentou o serviço e eu tive a chance de testar o aplicativo e fazer um agendamento para uma maquiagem. E gente, que facilidade! Agendei tudo bem rapidinho e quando compareci ao salão (nem precisei ligar para confirmar, nem nada), estava tudo agendado e certinho! O procedimento de cadastro também é bem fácil: você pode se cadastrar pela sua conta do Facebook e você recebe por email os dados do seu agendamento. Além disso, uma pessoa da Vaniday também entra em contato com você para confirmar sua reserva. Demais, né? Super prestativos!

Olha o passo a passo para você reservar um local, depois de você selecionar um serviço e um estabelecimento!

Escolher um salão e um serviço:

vaniday-1

Escolher dia e horário:

vaniday-2

Escolher meio de pagamento (haverá a opção de pagamento online caso o estabelecimento esteja cadastrado):

vaniday-4

E pronto, você recebe um email de confirmação com todos os dados do salão, endereço, telefone, valores e tudo mais! Fica super mais prático e você nem precisa ficar pesquisando no oráculo Google algum lugar perto de você!

O Vaniday é um aplicativo gratuito está disponível na App Store e na Google Play!

Acesse o site e a fanpage do aplicativo para conhecer mais, vale a pena! 😉

* Este post não é publicidade. É apenas uma resenha do produto baseada nas minhas impressões reais.

Anúncios

Falando Sobre: Chef

Oi gente!

Esse final de semana, no domingo à noite, zapeando pelo Netflix (as always), paramos para assistir o filme independente Chef, dirigido por Jon Favreau (que também dirigiu Homem de Ferro 1 e 2). Já tinha passado por ele algumas vezes, e até cogitamos assisti-lo, mas só neste final de semana conseguimos. Já tinha ouvido bastante gente falar dele, mas nunca tinha parado para ler alguma crítica, resenha ou até mesmo para ver o trailer. Fomos no feeling. E não é que gostei? Filmezinho leve, engraçado e gostoso de assistir com a família. Nem sempre a gente está a fim de assistir a um filme cult ou cheio de símbolos e metáforas, né? E esse é para esses dias que você quer deitar no sofá com alguém que você goste (e este alguém pode, também, ser você mesmo) e curtir.

resenha-filme-chef

Chef é um filme de 2014 filmado de maneira independente, então não espere grandes efeitos ou super câmeras, é uma reunião de amigos contando uma história e compartilhando momentos. Mas, ainda assim, é um bom filme e marca a volta de Favreau para a frente das telas. O longa (de 1h54m) conta a história de Carl Casper (interpretado por Jon Favreau), um chef de um restaurante bacanudo de Los Angeles, mas que enfrenta problemas com o dono do restaurante (interpretado por Dustin Hoffman), já que este não permite inovações na cozinha; Carl deve se ater ao certo. Um belo dia, um famoso crítico e blogueiro gastronômico (Oliver Platt) visita o restaurante, prova todo o Menu Degustação e faz uma crítica super negativa ao restaurante (e ao chefe) alegando, justamente, a falta de criatividade na gastronomia.

Em um momento de descontentamento, piorado pela falta de conhecimento das mídias sociais pelo Chef, Casper tira satisfações com o crítico no meio do restaurante e é demitido. Como se não bastasse, a cena da briga vai para a internet e viraliza, prejudicando a imagem do Chef de Cozinha. Para se reinventar e retomar o prazer em cozinhar, Casper se vê abrindo um Food Truck com o seu antigo companheiro de cozinha, interpretado pelo John Leguizamo (eterno Toulouse Lautrec em Moulin Rouge) e com o seu filho adolescente, também interessado pela Gastronomia.

resenha-filme-chef-1

O longa também conta com um elenco de peso, pois além do próprio Favreau na atuação e Leguizamo, também estrelam Sofia Vergara, Scarlett Johansson, Bobby Cannavale, Dustin Hoffman, Oliver Platt e Robert Downey Jr. O clima de amizade e leveza entre os atores é perceptível, o que é mais bacana de assistir. Chef é uma comédia com algumas pitadas de drama, abordando questões como frustração, fracasso e relacionamentos, já que Favreau é divorciado e não tinha muito contato com o filho, já que era um workaholic e trabalhava muito. Claro que essas questões não são trabalhadas de forma profunda, mas o filme não é pretensioso. Não vá assistir Chef achando que terão questões profundas e existenciais, porque não terão. Mesmo assim, é um filme que entretém e é gostoso de assistir.

Todos os personagens, inclusive o filho de Carl, são muito carismáticos e fazem com que você se sinta dentro do filme, torcendo pelo sucesso de Favreau. É um clima bem família mesmo. Além disso, quando Carl embarca na ideia do Food Truck, ele faz uma road trip de Miami à Califórnia, e passamos por belas paisagens, e é uma delícia. A gastronomia então, nem se fala, ponto alto do filme! A cada cidade visitada, conhecemos alguma especiaria da gastronomia local (Texas, New Orleans, etc), além da comida cubana (foco do food truck). Então, se você for assistir, prepare-se para ficar com muita água na boa!

Chef é um filme leve e gostoso (em todos os sentidos) de assistir. Mesmo previsível, é uma boa pedida para um fim de semana tranquilo. 🙂

Beijos.

DIY – Decoração com Painel de Eucatex Perfurado / Pegboard

Oi gente!!

Se tem uma coisa que eu não admito que prezamos, atualmente, na decoração de casa é espaço. Os apartamentos têm ficado cada vez mais pequenos e apertados e, com isso, somos obrigados a sermos criativos na hora da decoração para otimizar espaço, além de termos que deixá-lo super organizado (já que espaço pequeno e bagunça não são muito interessantes, né?).

Um grandissíssimo aliado nesse momento são os famosos pegboards (ou painéis de eucatex perfurados, para nós tupiniquins). Sabe aquelas grandes placas de metais cheias de furinhos para colocarmos ganchinhos? Então, essas mesmas! Antes eram muito usadas em casas de construção ou para organizar ferramentas em casa. Hoje isso não é mais assim! Você pode colocar uma placa de eucatex perfurado em, basicamente, todo ambiente da casa! É um ótimo organizador, além de dar um charme todo especial para a decoração, já que fica tudo suspenso! Você pode pintar a sua pegboard de várias cores para deixá-la bem colorida, fazer desenho, passar fita para escrever alguma frase na placa (no mesmo estilo do ponto-cruz). Basta usar a imaginação!

Para os ganchos, você pode usar os tradicionais ou, também, usar outros materiais como pregos, lápis e outras coisas. Você pode usar o painel de eucatex para fazer um cabideiro, um organizador de bijouterias, para guardar panelas e materiais de cozinha, materiais de escritórios e muuuitas outras coisas. Dá pra organizar tudo o que temos em casa!

Quer ver como fica lindo?

montagem-painel-eucatex-2

painel-eucatex-11

montagem-painel-eucatex-1

montagem-painel-eucatex-5

montagem-painel-eucatex-6

painel-eucatex-9

montagem-painel-eucatex-3

montagem-painel-eucatex-4

São lindos, não são? Já tô querendo fazer em algum cantinho da casa!

É só comprar uma placa de eucatex perfurado (o pegboard) e deixar a criatividade rolar solta!

Um beijo.

Falando Sobre: How I Met Your Mother

Oi gente!

This is going to be Legen… WAIT FOR IT….dary!

Taí uma série que eu queria falar há um tempão aqui e, por algum motivo que eu não sei dizer, ainda não havia falado: How I Met Your Mother. Até o começo deste ano eu não tinha assistido nenhum episódio, mas já tinha ouvido falar muito sobre ela e de como era uma febre mundial, mas não dei muita bola. Até um belo dia em um café da manhã em casa, que eu e o Pedro já estávamos sem novas séries para assistir dessas rapidinhas e decidimos colocar o primeiro episódio da série (somos desses que assiste séries sitcon repetidas durante refeições) e viciamos por completo! Devoramos todas as temporadas em pouquíssimo tempo, e não posso dizer outra coisa a não ser: QUE SÉRIE MARAVILHOSA! Desde Friends eu não gostava tanto assim de uma série de comédia, e essa é incrível!

How I Met Your Mother é uma sitcom de comédia (daquele estilo com episódios rápidos de 25 minutos, locações específicas e aquelas risadinhas de fundo, rsrs) lançada em 2005 que conta a história de como Ted Mosby (interpretado pelo fofo Josh Radnor) conheceu a mãe dos seus filhos. Para isso, a série é ambientada em 2030, ano em que Ted conta aos seus filhos adolescentes os fatos que o levaram a conhecer sua mãe. Com isso, os flashbacks é que dão sequencia e cadência à série. Ele volta no tempo para 2005, relembrando suas aventuras amorosas em Nova York e sua busca incessante e esperançosa pela mulher dos seus sonhos. Ted, apesar de ser o locutor dos acontecimentos, não é o único protagonista da série. Como em Friends, Ted tem um grupo inseparável de amigos: o advogado Marshall Eriksen, ou Marshmellow para os íntimos (interpretado Jason Segel), a professora e artista plástica Lily Aldrin ou Lilypad para os mais chegados (interpretada pela linda Alyson Hannigan), a jornalista Robin Scherbatsky (Cobie Smulders) e o mulherengo convicto Barney Stinson (Neil Patrick Harris).

A série se passa em Nova Iorque e mostra o dia a dia dos cinco amigos, sem necessariamente uma pauta linear ou específica, é sobre a vida mesmo. Sobre como Ted, um arquiteto, consegue se consagrar na sua carreira e virar professor, sobre como Marshall passou perrengues para passar na prova para se tornar advogado e conseguir realizar o seu sonho de ser um advogado ambientalista, de Robin, uma canadense (GO CANUCKS), tentando ser uma jornalista e repórter de respeito em terras Yankees e Barney colocando em prática o seu Playbook para conquistar mulheres. Eu gosto muito de todos os personagens, mas sou absolutamente apaixonada pelo casal Lily e Marshall. Quem mais?

Sei que de início não parece tão interessante assim, mas é, confie! É daquelas séries que em um minuto você está rindo de doer a barriga e em um segundo depois, você está se debulhando em lágrimas (de emoção ou de dor). Além disso, a cadência e os fatos com que as coisas acontecem é extremamente bem amarrado. Por exemplo, todos os episódios Ted aparece narrando aos seus filhos (que aparecem em cena, ouvindo os causos do pai) algum fato do passado; e isso se repete em todas as nove temporadas, filmadas em nove anos. E são os mesmo atores jovens, eles não envelheceram junto com a série como os demais, senão não seria verossímil, não é? Os jovens gravaram todos os episódios de uma vez, o que significa que os produtores e diretores de How I Met Your Mother já tinham todo o roteiro, inclusive o polêmico final, planejado. Incrível, né?

HIMYM (para os amantes de série que adoram colocar sigla em tudo) é uma série maravilhosa: emocionante, cheia de mensagem fofinha no final de cada episódio, extremamente engraçada e bem escrita. Eu, particularmente, amei o final. A série teve o último episódio exibido em 2014 e causou um rebuliço nas redes, já que muita gente não curtiu. Eu adorei, para mim fez total sentido todo o desfecho dos 5 personagens.

E você, já viu? É apaixonado assim como eu pela série? Comenta aí!

Beijos.

Para se Inspirar: Cozinhas Americanas Coloridas

Oi geeente!

Mas olha quem voltou (e não é a primeira vez que diz isso aqui no blog, haha)!

Dessa vez, espero eu, é de verdade! E o primeiro post depois dessa recessão incrível a qual o blog está passando (já passou, já passou!) não poderia ser diferente de decoração e inspiração de ambientes da casa. Se tem um lugar que eu gosto muito é a cozinha (apesar de não saber cozinhar nada). É sempre um ambiente de muito convívio e não sei a família de vocês, mas a minha sempre se reúne na cozinha enquanto alguém está preparando o almoço e a janta. É sempre uma reunião em volta do fogão, e eu amo!

Lá em casa não é diferente. Sempre que o Pedro (ou o Fábio, meu primo hóspede que está morando com a gente e também sabe cozinhar) está fazendo uma comidinha, eu estou sempre junto. Colocamos uma musiquinha, abrimos uma cerveja ou um vinho e ficamos lá cozinhando, conversando, cantando e passando o tempo. Eu amo! E não há nada pior do que ficar isolado num canto da casa fazendo isso, quando o resto das pessoas está vendo TV ou conversando na sala, não é? As cozinhas atualmente já não comportam muitas pessoas, então é difícil comportar o cozinheiro, o ajudante e as visitas. Para resolver esse impasse, uma super tendência da arquitetura e decoração, hoje, são as cozinhas americanas. Elas resolvem esse problema do isolamento, além de dar uma sensação de amplitude ao ambiente, deixando a cozinha e a sala ainda maiores.

Eu sonho com uma cozinha americana há muito tempo, e ainda farei na minha casinha sem dúvida. Mas há algumas dicas valiosas para deixarmos esse ambiente ainda mais harmonioso:

1. Compre uma coifa (ou exaustor): Para evitar cheiro de gordura, comida e fumaça pela casa toda, invista em uma boa coifa, sem dúvida!

2. Invista em cores: Por mais que sejam dois ambientes (cozinha e sala), eles são integrados. Então pense em uma combinação de cores e decoração que sejam complementares. Não precisa ser tudo igual, ou tudo com a mesma cor de móvel ou piso, mas essa transição deve ser harmoniosa!

3. Mantenha a cozinha organizada: Já que o ambiente inteiro será aberto, isso contribui para mostrar a nossa bagunça, então tenha sempre em mente que você terá que organizar sempre a cozinha. Não dá pra deixar aquela montanha de louça na pia por dias, né?

4. Use a criatividade, saia do básico: Invista na parede de tijolo, em uma geladeira colorida, em adesivos de azulejo, que já falei nesse post, em móveis coloridos. Deixe alguns livros de receita à mostra, coloque uns quadros, dê vida à sua cozinha! 🙂

Quer ver umas ideias dessas cozinhas americanas inspiradoras?

cozinha-americana-decoracao-11

cozinha-americana-decoracao-3

cozinha-americana-decoracao-montagem-2

cozinha-americana-decoracao-9

cozinha-americana-decoracao-montagem-1

cozinha-americana-decoracao-10

cozinha-americana-decoracao-montagem

cozinha-americana-decoracao-7,

cozinha-americana-decoracao-montagem-3

E aí, você teria uma cozinha americana dessa? Eu quero (só falta o dinheiro, hihi).

Beijinhos!